O racismo existe em todo o Brasil e mundo, é uma realidade que está nas relações de todas as classes, ele não poupam pessoas negras ricas nem pobres, famosos ou celebridades. Todas as pessoas negras tem uma historia de racismo para contar.  O racismo é um mal que precisa sair das pessoas, é perverso é CRIME. Conheça o depoimento de 10  artistas que já sofreram racismo:

O cantor Thiaguinho foi vítima de preconceito em um restaurante

Em 2012, o cantor Thiaguinho foi vítima de preconceito em um restaurante. “Fui almoçar num restaurante de shorts, camiseta e chinelo. Quando o manobrista trouxe o meu carro e eu fui entrar, ele colocou a mão na frente. Não achou que aquele carro pudesse ser o meu e perguntou: ‘Você é o dono?’ Tem um preconceito velado quando alguém vê um negro com um carrão. Logo perguntam: ‘É jogador ou pagodeiro?’. Ou seja, no Brasil o negro só pode ter dinheiro se tiver uma dessas duas profissões. E vivem me perguntando se sou jogador”, contou ele ao site ‘Ego’.

Adriana Bombom, revela que já sofreu muito preconceito pelo fato de ser negra

“No começo da carreira eu fui muito discriminada, pelo fato de ser mulata grande e bunduda, mas não era só um preconceito profissional não, por não ter o perfil… Os bookers da época falava que eu tava mais para Sargentele, do que para modelo. Não tinha muitos negros nas agências na época e sempre existiu uma panela muito grande. Sem falar que existia a queridinha dos bookers e eu sempre ficava na geladeira”, contou ao site ‘O Fuxico’ a dançarina Adriana Bombom, revelando que já sofreu muito preconceito pelo fato de ser negra.

Taís Araújo: eu sofro muito

Taís Araújo é hoje uma atriz consagrada. Mas, em 2004, quando interpretava a Preta de ‘Da Cor do Pecado’, a atriz, que na época namorava um rapaz branco, desabafou sobre o preconceito ao site ‘Vírgula’: “Eu sofro muito. Qual negro que não sofre com preconceito nesse país?! Meu namorado é branco, e ele fala que não é bem assim, que não há tanto preconceito. Só que eu digo pra ele: Se um dia eu tiver um filho com você, o nosso filho vai ser negro. E aí sim você vai sentir na pele esse preconceito. Só sentindo na pele pra saber. Dizem que, hoje em dia, está melhor, diminuiu bastante o preconceito. Porém, o dia que você nascer negro, ter um filho negro, vai saber como é. É duro, mas estamos aí, batalhando, na luta”, disse ela.

Gloria Maria, foi barrada na porta de um hotel de luxo no Rio de Janeiro

A primeira repórter negra da TV brasileira,Gloria Maria, foi barrada na porta de um hotel de luxo no Rio de Janeiro, no começo de sua carreira. “Fui a primeira repórter negra da televisão. A primeira a apresentar o jornal das sete, a primeira no comando do ‘Fantástico’… Mas tive que enfrentar muitas barreiras e obstáculos para conseguir as coisas. Tudo é mais difícil para um negro. Você tem que provar 100 vezes que você é o melhor. É cansativo, duro, doloroso. Se você não tiver uma força extraordinária, não consegue passar por isso. Mas eu vim ao mundo para lutar. Sou uma guerreira!”, contou a jornalista ao ‘Ego’.

Lázaro Ramos revelou que sofreu bastante com o preconceito

Em entrevista à Marília Gabriela, o ator Lázaro Ramos revelou que sofreu bastante com o preconceito antes de virar um ator famoso. “Sofri diversas vezes. Algumas delas de uma maneira mais explícita e outras de uma maneira que entendi depois. Por exemplo, eu tive a minha primeira namorada aos 17 anos, eu sempre fui o melhor amigo. Eu estudava em colégios particulares que tinham, em sua maioria, pessoas brancas, e eu tinha muita dificuldade em me relacionar”, contou ele.

Thalma de Freitas chegou a ser levada a uma delegacia por ‘engano’

A atriz Thalma de Freitas chegou a ser levada a uma delegacia por ‘engano’ depois de ser abordada saindo da casa de uma amiga. “Fui parada numa dura, saindo da casa da minha amiga Dani no Vidigal. Revistaram minha bolsa, não acharam nada e me trouxeram para a delegacia”, contou ela ao site ‘Quem Online’. Os policiais do caso foram autuados por abuso de autoridade.

Seu Jorge foi muito discriminado durante a temporada que passou na Itália

O cantor e ator Seu Jorge revelou que foi muito discriminado durante a temporada que passou na Itália para filmar o longa ‘A Vida Marinha com Steve Zissou’. “Não volto lá nunca mais. O italiano é racista. Eles têm sérios resquícios da colonização que sofreram: não aprenderam a lidar com outras etnias. Me maltrataram muito. Lá, percebi que, por ser negro, não era brasileiro, era da África, da Somália. No Brasil, isso também é forte ainda, viu?”, contou ele ao jornal ‘Extra’.

Preta Gil irei até o fim contra esse deputado, racista

Em março de 2011, em entrevista ao programa “CQC”, da TV Bandeirantes, o deputado Bolsonaro respondeu que não discutiria “promiscuidade” ao ser questionado por Preta Gil sobre como reagiria caso o filho namorasse uma mulher negra. “Advogado acionado, sou uma mulher negra, forte e irei até o fim contra esse deputado, racista, homofóbico, nojento”, escreveu a cantora no Twitter após a resposta do parlamentar. Sobre o caso do jogador Daniel Alves, Preta desabafou no Facebook: “Fiquei orgulhosa com a atitude do Daniel Alves, ele deu uma banana para o preconceito e mostrou que de macaco não tem nada. Ele foi muito humano. Estou vendo o movimento da banana e respeito quem aderiu, pois, tenho certeza que foi de coração. Mas não sou macaca, eu tenho minha própria opinião, sou negra com muito orgulho! Racismo é crime, cadeia neles!”.

 Gaby Amarantos rolou uma parada meio de racismo

“Quando era garota, queria fazer balé e tinha uma escola muito tradicional de balé. A minha mãe foi até lá para tentar me inscrever e rolou uma parada meio de racismo. Não pude participar. Fiquei meio frustrada com isso e triste porque queria muito ser dançarina. Não permitiram que eu me matriculasse por ser negra. Era uma escola mais elitizada e a minha mãe, na inocência, pensou: ‘A minha filha quer e vou lá perguntar como é’. Eu estava junto e fiquei meio frustrada com a dança por causa do preconceito. Era garotinha, tinha uns 4 ou 5 anos. Mas se tivesse me dedicado desde cedo talvez tivesse até um corpo diferente porque também queria fazer ginástica olímpica. Talvez fosse mais preparada para a dança. Depois disso não quis fazer mais nada ligado a dança. Fiquei com aquele trauma”, contou a cantora Gaby Amarantos à revista ‘Raça’.

Jonathan Azevedo foi abordado pelo segurança

O ator Jonathan Azevedo também já sofreu com racismo. Quando estava com a namorada em um shopping do Rio de Janeiro, o ator deixou a garota na fila do cinema para atender ao telefone. Quando voltou, Jonathan foi abordado pelo segurança: “Ele disse que não era para eu pedir dinheiro para a moça. Na hora pedi para ela ficar calma e conversei com ele. Expliquei a situação com educação”, contou o ator ao ‘Diário Grande ABC’.

Informações e imagens do Yahoo.

Do  Afrokut

Exibições: 41139

(Visited 6.367 times, 9 visits today)