sabão milagroso para ficar branco - Racismo“Não sei, meu filho, não sei de modo nenhum por que algumas pessoas nascem negras, outras brancas, outras morenas, outras amarelas. Sei apenas que Deus fez espécies diferentes de pessoas para viverem no mundo; e, uma vez que Deus é bom, deve ser bom que seja assim. Sei também, meu filho, que Deus não se preocupa muito com a cor do menino por fora. A cor do coração é que importa.  Há crianças de pele branca com coração negro, e há pessoas como eu, por exemplo, com pele escura, mas, meu coração está branco”.

Bola de Neve: historia contada em muitas  igrejas para falar do racismo com as crianças.

Em muitas de nossas igrejas, nas escolas bíblicas, crianças são bombardeadas  com expressões em que a cor preta tem conotação preconceituosa sendo associada com o pecado e a elementos ruins. Como a historinha “Bola de Neve”, o “Livro Sem Palavras”, a música “O Meu Coração era Preto”, entre outros. O que me chamou a tenção foi a historia “Bola de Neve” que por incrível que pareça tem o objetivo, segundo a Editora APEC, “trabalhar a auto estima da criança e ajudar a criança a lidar com o preconceito e a conviver com a diversidade”.

É importante lembrar que na infância a Igreja, para muitas crianças, representa o lugar onde acontece a formação, tão importante quanto o ambiente familiar. O professor da escola bíblica tem papel, na Educação Infantil, de formador de opiniões, mesmo, muitas vezes, sem se dar conta disso. Ao utilizar a determinados materiais didáticos para ensinar e passar valores religiosos, os professores devem analisar que tipos de valores e sentimentos esses materiais didáticos pode suscitar e influenciar o comportamento das crianças no processo de formação da personalidade.

Na historia “Bola de Neve”, as expressões: “Há crianças de pele branca com coração negro”; “meu coração está branco”; “pessoas pecam, por isso, todos estão com coração preto”; “Jesus pode vir ao seu coração e lavar toda a pretura e escuridão que lá existe”. Conteúdos que remete as crianças a uma constatação que o pecado, o mal  ou coisas ruins na vida das pessoas estão vinculados a cor  preta e negra. A força dessas afirmações pode influenciar em preconceitos raciais, provocando nas crianças aversão e constrangimentos, tornando o produto Bola de Neve perigoso, inadequado, preconceituoso e racista.

Abaixo, a historia “Bola de Neve“ usada nas escolas bíblicas de muitas igrejas, em que nos remete a cor preta e negra a situações negativas reforçando o racismo e a discriminação nas crianças:

“BOLA DE NEVE”

Bola de Neve era um menino negro, como vocês podem ver. Vivia em uma casa de madeira que não era muito maior que ele. Tinha sua mãe e seu pai e um cachorrinho chamado Duque. Seu nome não era realmente “Bola de Neve”. Chamava-se Joãozinho. Vocês querem saber como ele ganhou o novo nome?

Certo dia Joãozinho foi para uma nova escola. Olhou ao redor e notou que ele era o único menino negro na classe. As outras crianças eram muito malcriadas; olharam para ele e cochicharam umas para as outras: “Olha, que menino preto”! Algumas olharam tanto para Joãozinho que o pobre menino acabou escondendo o rosto nos braços e não olhava mais pra ninguém. Grandes lagrimas rolavam pelo seu rosto, e os soluços sacudiam seus ombros. Na hora do recreio, quando todas as crianças saíram da sala de aulas, um dos meninos maiores apontou para Joãozinho e caçoou:

– Ih! Bola de Neve! Que é que você está fazendo? Derretendo-se?

Como as crianças riram! Pensaram que “Bola de Neve” seria um nome engraçado para um menino negro. Começaram a gritar:

– Ih! Bola de Neve! Bola de Neve!

Até que o menino não pôde mais suportar.

Joãozinho correu rua abaixo, para casa, tão depressa quanto suas perninhas podiam carregá-lo. Seu coração estava cheio de ódio. Odiava aquelas crianças por terem rido dele. E se odiava porque era negro. Imaginava porque Deus o teria feito negro. Desejava de todo o coração ser branco como as outras crianças da classe.

Enquanto corria para casa, passou pela loja da esquina. Havia um anúncio grande na vitrine.

Joãozinho vagarosamente soletrou as palavras: “SABÃO MILAGROSO, TRANSFORMA AS COISAS PRETAS EM BRANCAS. ARTIGO DO DIA R$ 2,00”. Parou por um momento, pensando, e então correu para casa tão rapidamente quanto pôde. Sua mãe não estava em casa, mas ele foi buscar seu próprio cofrinho, contou R$ 2,00 e correu de volta à loja.

– Um pedaço de sabão, por favor, disse ele apontando o anúncio. – Este sabão torna mesmo as coisas bem pretas em brancas?

– Torna sim. – respondeu o dono da loja, enquanto embrulhava o pedaço de sabão.

Bola de Neve ainda estava na banheira quando sua mãe chegou. Tinha se esfregado… Se esfregado… Se esfregado… Até que sua pele ficou muito irritada; mas era ainda um menino negro. Por mais que se lavasse, não poderia mudar a cor de sua pele, e o sabão milagroso não adiantou nada.

Entre soluços contou à mãe que queria se lavar até ficar branco.

– Por quê? – chorava ele. – Por que Deus me fez negro?

Pela ternura de seu rosto, Bola de Neve sabia que sua mãe compreendera. Enquanto ela o enxugava, aplicava óleo na pele irritada e falava meigamente.

Era isto que ela dizia:

– Não sei, meu filho, não sei de modo nenhum por que algumas pessoas nascem negras, outras brancas, outras morenas, outras amarelas. Sei apenas que Deus fez espécies diferentes de pessoas para viverem no mundo; e, uma vez que Deus é bom, deve ser bom que seja assim. Isto eu sei, que Deus preparou um lugar no mundo para todos nós, que Ele nos ama a todos do mesmo modo e deseja que todos os seus filhos se amem uns aos outros. Sei também, meu filho, que Deus não se preocupa muito com a cor do menino por fora. A cor do coração é que importa.

– A cor do coração? – exclamou Joãozinho. – Quer dizer que meu coração também é negro?

– Meu filho – exclamou a mãe – a cor da pele não tem nada haver com a cor do coração. Há crianças de pele branca com coração negro, e há pessoas como eu, por exemplo, com pele escura, mas, Joãozinho, meu coração está branco.

– Mas, como, mamãe? Como que o coração da senhora ficou branco assim?

– Espere meu filho. Primeiramente você precisa saber o que é que faz o coração escuro. É o pecado. As maldades que nós praticamos. E todas as pessoas pecam, Joãozinho, por isso, todos estão com coração preto. Isto é, se o coração não foi lavado ainda.

– Lavado?! Quer dizer que é possível lavar o coração? Mas, mamãe, o sabão não ajudou nada para me tornar branco.

– Não, meu filho, porque sabão e água não podem purificar o coração. Somente o sangue de Jesus pode nos purificar por dentro do coração. Escute meu filho, Deus vê dentro de nossos corações e, quando vê ódio e egoísmo ou outros pecados ali, não pode olhar para nós, porque Deus não pode tolerar o pecado. Ao mesmo tempo, Deus nos ama e quer ter-nos junto a Si lá no céu um dia. Foi por isso que ele enviou Seu Filho, o Senhor Jesus Cristo, ao mundo para lavar nossos pecados. Jesus, que nunca pecou, tomou o castigo que nós merecemos, morrendo na cruz em nosso lugar.

Mas Ele ressuscitou ao terceiro dia. Se você o permitir, Jesus pode vir ao seu coração e lavar toda a pretura e escuridão que lá existe e deixará seu coração exatamente como a Bíblia diz: “Lava-me e ficarei mais alvo que a neve (Sl 51:7)”!

Bola de Neve olhou para os olhos ternos de sua mãe.

– Mamãe, é por ter Jesus no coração que a senhora é tão doce e amorosa, por Jesus tê-la lavado por dentro?

– Sim, filho, se você vê algo doce e amoroso em mim, isso é o que o senhor fez em meu coração.

– Então, eu O quero em meu coração, também.

Ajoelhados juntos, o menininho negro e sua mãe fizeram esta oração:

– Senhor Jesus, vem ao coração deste menininho e torna seu coração mais alvo que a neve.

Alguma coisa aconteceu no coração de Bola de Neve. Deus não só tirou toda a amargura e ódio, mas também pôs um grande sorriso feliz no seu rosto e lhe deu coragem para voltar à escola.

No dia seguinte, quando os meninos gritaram: – Ih! Bola de Neve. – e riram, uma voz dentro de Bola de Neve disse: “Ria com eles; você sabe que está realmente branco por dentro. Eles também precisam conhecer Jesus como Salvador”. Assim Bola de Neve riu e mostrou seus dentes brancos e brilhantes. Em seguida, moveu os olhos e as orelhas (brincadeira que o pai lhe tinha ensinado). As crianças riram, mas agora estavam rindo com ele. Um dos meninos chamou:

– Ei, Bola de Neve, venha ver se você é capaz de chutar uma bola conosco

Agora o menino negro nem sequer notou que tinha sido chamado de Bola de Neve; até que estava gostando do nome.

Como a vida mudou para Joãozinho depois de ter o coração purificado pelo sangue de Jesus!

A historia “Bola de Neve”, é um produto comercializado pela APEC – Aliança Pró Evangelização das Crianças, que segundo a editora  “trabalha a auto estima da criança e ajuda a criança a lidar com o preconceito e a conviver com a diversidade”. 

Por Hernani Francisco da Silva – Do Afrokut

(Visited 148 times, 1 visits today)