Gênero em uma perspectiva africana

Para decolonizar mais um pouco, quero lembrar que é preciso de muito cuidado para tratar de gênero desde uma perspectiva africana. Essa dicotomia entre o público-masculino e o privado-feminino, não existe para a sociologia yorùbá. O paradigma que a nação yorùbá era construída foi como formada por cidades-estados. Essa cidade era originalmente governada por um Leia mais… »

O que é Kemet?

Acredita-se que Kemet é sinônimo de Egito antigo, porém, desta forma, ignora-se que a palavra “Egito” é o nome que os antigos gregos deram ao país. No entanto, não são sinônimos, o Kemet teve 30 dinastias e depois surgiu o Egito. O Kemet era a civilização avançada e mais influente de sua época. A planície fértil Leia mais… »

Sacada do Self da nova militância negra

No programa Conversa com Bial, que abordou reflexões acerca da temática dos 130 anos da abolição da escravatura, o Rapper Emicida comenta uma declaração do então presidente José Sarney que abria oficialmente as comemorações do Centenário da Abolição. Em seguida, o professor Hélio Santos comenta a fala de Emicida e revela a sacada do Self Leia mais… »

Meditar é coisa de Preto, viu!?

Àsàrò (meditação em yoruba) é um dos maiores patrimônios do caminho de sabedoria e da filosofia que nos foi legada pelos nossos ancestrais, mas também é o patrimônio mais ignorado por nós. Meditar, colocar-se em silêncio e pôr-se presente e consciente no Agora é uma prática ancestral e também africana. Nossos ancestrais eram grandes meditadores Leia mais… »

O Candomblé é fundamentalista?

PERGUNTARAM-ME SE O CANDOMBLÉ É FUNDAMENTALISTA… Como estudioso e professor no campo dos estudos religiosos e pós-coloniais e como pessoa negra, eu não podia resignar-me de responder essa importante questão. Como aprendiz de terapeuta interessava-me ainda mais esse ponto, pois sei dos danos que uma certa “síndrome do trauma religioso” tem causado em muitas pessoas. Logo, Leia mais… »